Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

25
Set08

Pontos nos is.

Little Miss Sunshine

Os preparativos para o casamento arrancaram. Eu sei que a minha vida com o meu rapaz tem altos e baixos, e sei que não vale a pena tentar desculpar as atitudes dele com a cultura dele, mas a verdade é que eu gosto do gajo - com imperfeições e tudo. Não acredito que hajam casais 100% felizes. Até porque não há casais perfeitos. Na minha perspectiva, um casal com grande potêncial para a vida a dois, é aquele casal que barafusta, chateia-se, anda às turras e depois faz as pazes. É cansativo mas vale a pena, porque no fundo, é tudo um processo de adaptação.

 

O meu rapaz tem andado passado dos carretos, mas eu também não me insurjo contra isso. Cada um é como cada qual e se não resultar, cada um vai para o seu lado. Não sou grande apologista de divórcio, e sempre disse que na minha vida tentaria ao máximo escapar dessa sina. Mas na minha família, divórcios proliferam e só os meus avós é que se escaparam disso, provavelmente devido à geração a que pertenciam, e que condenava o divórcio puro e simples.

 

Casar com um indiano tem - como se diz por aqui - muitos 'perks'. Não é fácil como 2+2. As nossas maneiras de ver o mundo são diferentes. Ponto. São mesmo muito diferentes. Tipo, um nasceu num lado do mundo e outro nasceu noutro lado totalmente oposto. Mas casais entre etnias diferentes sempre existiram, e resistiram. Tenho o dobro do trabalho para me exprimir e para me fazer entender, mas a verdade é que o meu rapaz é um rapaz de ouro e será um pai perfeito para os miúdos (quando vierem, claro).

 

É honesto, e tem alguns problemas em entender como as coisas funcionam por estes lados, mas até eu às vezes me sinto estrangeira por estas zonas, apesar de já cá viver há 4 anos. Aliás, eu SOU estrangeira, quer queiramos quer não, e como tal, tenho inseguranças típicas por estar longe da família e dos amigos e dos pets.

 

Por mais 'tugas' que se encontrem aqui, por mais frango com piri-piri que se coma, as coisas serão sempre diferentes, porque o ambiente é diferente. 'Em Roma sê romano', não é 'em Roma sê Indiano'! Por isso já lhe disse que ele tem de mudar as atitudes dele de uma vez por todas e talvez esperar um pouco menos de mim, porque eu já carrego muitas responsabilidades às costas.

 

Hoje em dia as mulheres não são feitas para estar na cozinha, e eu já pus os pontos nos is sobre esse assunto. Recuso abdicar de uma carreira de sucesso para viver em função do marido, ficar em casa a tomar conta dos filhos, lavar roupa e fazer o jantar. Ele sabe. Eu sou clara nesse aspecto. Se ele quer uma ama, uma cozinheira e uma mulher a dias com benefícios nupciais, então que as contrate - ou, ainda está a tempo, pode sempre casar com uma indiana. A mãe dele saltaria de emoção, com toda a certeza.

 

O que ele não pode é esperar que eu me torne numa escrava do lar, quando desde o príncipio eu sempre lhe disse que essa não é a minha função. Se cozinho, é porque gosto de o fazer, não porque preciso. Aliás, eu podia jantar fora todos os dias, porque ganho para isso. Portanto, nesses aspectos os pontos estão bem visíveis e foram recentemente marcados a amarelo fluorescente. Se o menino está de folga, o menino tem de ser perspicaz o suficiente para entender que eu não quero chegar a casa e ver as coisas como há-de ir. Porque se eu deixo o quarto limpo e arrumado, quero encontrá-lo dessa forma. E ele vai ajudando, por isso não me posso queixar.

 

Claro, volta e meia dá-lhe 'VIPes', mas eu também tenho os meus, e posso ser uma grande 'bitch' quando quero.

 

A razão para este casamento avançar agora e depressa não tem a ver com um filho não planeado (calem-se já as cusquices nas hostes! O benfica jogou em casa recentemente...), mas sim com o fim do visto dele, que acaba em Janeiro. 

 

Além de que, desde Outubro 2007 quando fiquei oficialmente noiva, já andámos a falar em casar por esta altura - estávamos só mesmo à espera de acabar os nossos cursos. Agora que acabámos os cursos, casar vai-lhe abrir as portas para o visto de trabalho, e em dois anos, o visto de residência. Entretanto,  para poder encontrar um trabalho decente ele precisa mesmo do visto de trabalho. Eu já tenho o meu trabalho decente, por isso daqui a uns meses posso começar a pensar em ser mamã - que nesta altura é mesmo tudo o que quero... ***deve de ser o relógio biológico a dar horas***

 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D