Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

17
Dez08

Que trabalhos!

Little Miss Sunshine

Esta semana não tem sido das melhores. Ando atolada em trabalho e ontem tive uma reunião com um cliente para apresentar os principais resultados do relatório que fizemos para ele. Infelizmente para mim, ele vinha com um humor desgraçado face à situação económica que o país está a atravessar (sim, não é só Portugal! Uma grande cadeia de lojas acabou por entrar em falência e mais de 30 mil empregados vão para a rua antes do Natal! Outros tantos estão a ser feito redundantes, e estima-se que um quarto da população vai estar desempregada entre Janeiro e Junho, 2009... MAIS AQUI! O Sid não consegue sequer arranjar emprego na area dele, o bonus de Natal da Universidade não vai ser pago a ninguém, as coisas andam muito negras por estes lados...). Enfim... eu acabei por ser bombardeada com comentários e questões comprometedoras e complicadas, muitas das quais nem eu soube/ pude responder.

 

O que mais me magoou foi o facto de eu estar ali à frente de todos (cliente, coordenadora, ponto de contacto e lider academica), de pé, e a minha lider académica nem sequer disse ai nem ui - e eu tive de me aguentar à bronca sem o mínimo de apoio. A minha chefe pediu-me desculpas mais tarde, ao telefone... Mas a culpa não é dela, porque ela não está envolvida nos projectos da maneira que a minha lider académica está! E eu acabei por meter as mãos pelos pés na apresentação, as coisas descambaram para além do razoável e eu nunca me senti tão burra...

 

Passei o dia todo com um humor de cão, a sentir-me vazia, incompreendida e completamente estúpida. Ora eu sei que não sou estúpida... Mas neste emprego é como eu me sinto na maioria das vezes. Raramente recebo um elogio, e se sinto que falhei em algum aspecto da minha carreira, ninguém me passa a mão na cabeça. É como se eu estivesse aqui para lixar o esquema todo... Mas também não deve de ser tão mau, senão eu não tinha aterrado no contrato de 12 meses... Só que no geral, e mais últimamente, ando com um espírito de cão e uma vontade de burro (deve de ser porque o Natal se está a aproximar e eu vou passá-lo longe de Portugal e da família)...

 

Eu e o Sid aterrámos num poço sem fundo. Já nem conversamos como antigamente e se eu tento estabelecer comunicação, o mais certo é acabar em recriminações, gritos e choro - eu simplesmente não estou para passar por isso nesta altura. Sinto-me deslocada e desamparada, que prefiro mil vezes direcionar a minha atenção para a net e os meus 'amigos virtuais'... Cansei. Não me apetece lutar mais para tentar resolver conflitos criados pelo ego dele e pela minha personalidade explosiva...  Ele é àgua e eu sou azeite - não misturamos. Cansei mesmo, e tanto, que estou a pensar tirar este fim de semana de folga da minha casa, da minha aldeia, e do meu gajo - porque ao fim de semana eu não trabalho e portanto já por si estou de folga... Preciso de sair, ir fazer coisas que eu gosto e esquecer as recriminações e os juizos de valor da minha outra metade.

 

Quando olho para trás e vejo a minha vontade de concretizar todos os meus sonhos, um por um... e olho para a minha vida agora e sinto que está estagnada, não anda para a frente... Quer dizer, anda, mas não geográficamente, e acho que é disso que eu preciso. Talvez tenha sido uma nómada na minha vida anterior, não sei. A verdade é que esta aldeiazinha a 20 minutos de Londres já não me diz nada e eu quero é ir para os Estados Unidos - como? Não sei... Mas também não sabia como havia de fazer para vir aqui parar a este ilha! E aqui estou!

 

Não sei... Ando como aquele poema.. com um descontentamento descontente... Porque é que custa tanto mudar quando se chega a uma certa altura (idade) nas nossas vidas? Porque é que nos acostumamos com o que não nos faz feliz, e vivemos na esperança de que um dia tudo mudará? Não muda... A não ser que nós mudemos - e para mim, mudança tem de ser radical, senão não vale a pena... E o que é que pode ser mais radical do que ir morar para outro continente?...

 

P.S. Comprei leite de cabra, porque aparentemente é melhor para nós do que o de vaca. Agora sou fã! Leite de vaca já era!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D