Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

31
Mar10

Começa a enxurrada de trabalhos para corrigir!

Little Miss Sunshine

E eis que chegámos novamente àquela altura do ano em que por onde quer que me vire, há trabalhos espalhados por todo o chão de minha casa. Para andar, só mesmo aos saltinhos, porque no meio do meu caos, ninguém se entende - só mesmo eu. Gosto mesmo do que faço, mas tenho de ser sincera: esta é a altura mais complicada para mim, a altura da submissão de trabalhos de avaliação para três das cadeiras que estou a leccionar este semestre. Ainda para mais, tenho o curso de formação profissional para acabar (e um trabalho para fazer e entregar já no final do mês), tenho outro curso de formação de professores a começar assim que regressar de Portugal, e esta catrefada de trabalhos para corrigir, notas para lançar... Uffa! Até me falta o ar.

 

Já comecei a marcar alguns, e não estão nada famosos. Um pouco desiludida, já que alguns destes alunos são meus alunos e por isso esperava muito mais deles - especialmente após as direcções que lhes dei durante as aulas.  Começo logo a perguntar-me se a culpa foi minha, revejo as aulas em fast rewind, depois em slow forward... Não! Não pode ter sido culpa minha...! mas então porque é que me sinto culpada...?

 

Talvez porque hoje não fiz jantar - andei de volta destes trabalhos de grupo, a trocar emails entre colegas, e a ver se realmente as notas estão consistentes com o resto das notas dos outros professores. Deixem que vos diga qual é a palavra que o pessoal das universidades aqui do Reino Unido gostam mais: consistência. Têm a sua razão. Quando mais de 500 alunos recebem notas de mais de 5 professores, há que haver consistência.

 

Onde não há consistência nesta altura é na minha casa. Quando podia ter compreensão e carinho, tenho agressividade e falta de entendimento. Depois há a culpa, porque acho que isso tudo acontece porque eu não estou a agir de acordo com as expectativas geradas... Mas com tanto para resolver, digam-me lá se não era tão melhor ter um ambiente em casa semelhante ao ambiente do meu trabalho? Porque lá, apesar dos encontrões volta e meia, pelo menos reina a tranquilidade, e a paz.

 

Só precisava disso mesmo, um pouco de paz. Mas nesta altura parece que o maridão não enterra o machado, e eu não estou com paciência de negociar o que quer que seja. A falta de espaço não ajuda... As incriminações dele também não. A minha personalidade ainda piora a cena. Isto está complicado hoje para o meu lado. E por isso, refugio-me no trabalho para não pensar no quanto estou infeliz. O que é triste, porque depois de tantas lutas e batalhas, depois de tanto sufoco e distância, as coisas entre nós deviam estar tranquilas... mas não estão.

28
Mar10

Portugal!

Little Miss Sunshine

Daqui a menos de uma semana vou estar em Portugal - vocês não imaginam como estou ansiosa. Não vou a Portugal desde o Natal, o que pode parecer até pouco tempo, só que desde que o ano começou que estou com vontade de lá passar uma semana e andar pelos sítios da minha infância e adolescência, mostrá-los ao marido, e quem sabe, ele até goste bastante de lá...!

 

O tempo aqui está a melhorar ligeiramente, mas nada é melhor que o tempo português e as praias, e as paisagens, e rever a família... Portugal para mim é um paraíso, se bem que eu saí de lá porque de paraíso nada tinha. Mas agora Portugal está associado a bons momentos entre aqueles que me amam - e eu sinto muito a falta desses momentos...

 

Da bica com pastel de nata, de Sesimbra no pico do Verão, dos cafés com os amigos no naval, na esplanada, ou num cafézinho mesmo ali da esquina. De passear na Arrábida, de sentir o cheiro do mar, o vento nos meus cabelos, Cabo Espichel... Ahhh! Saudades da minha terra...

27
Mar10

Troubles in Paradise

Little Miss Sunshine

Tou furiosa hoje. Triste até. Não entendo porque é que o meu marido não vê que eu não estou disposta a abdicar dos meus 6 anos de luta intensiva aqui no Reino Unido... Não quero largar a profissão dos meus sonhos... Construí tudo o que tenho hoje com bastante esforço e sacrifício. Eu sei que ele quer voltar para o Brasil, e eu estou disposta a ir com ele. Mas não agora. Não quando estou no princípio da minha carreira, e quando as coisas estão a correr tão bem para mim aqui.

 

Nunca ganharia no Brasil o que estou a ganhar aqui. Além de que para ser professora universitária lá as coisas são bem mais complicadas, sendo eu estrangeira e tudo o mais... Para além de que estarei muito mais longe da minha família. E a minha família é o meu Porto de abrigo, está a 3 horas daqui. Se eu for para o Brasil vai ficar a mais de 12 horas de avião.

 

Não sei se estou a ser egoísta ou não, mas vocês que lêem o meu Blog desde o início sabem que não foi fácil para mim atingir o patamar onde hoje me encontro. Não estou a nadar em dinheiro, mas tenho um flat para nós e uma vida modesta onde nada nos falta. Porquê mudar para o desconhecido, arriscar carreira, dinheiro, futuro por algo incerto, quando eu sei que aqui tenho tudo o que preciso e talvez mais...?

 

Ele não entende. E eu também não quero mais explicar porque isto faz-me doente, isto parte-me o coração e é a razão de brigas que eu quero evitar ao máximo. Detesto estar chateada com ele e detesto mais ainda que ele não entenda que a nossa vida e o nosso futuro nunca será tão bom no Brasil como se perspectiva se ficarmos por cá.

 

22
Mar10

Por favor, contribuam...!

Little Miss Sunshine

 

 

No dia 18 de Julho vou correr com a Sara Rivas mais uma vez. Corremos todos os anos para angariar fundos para Cancer Research UK, uma entidade que se dedica à investigação de curas para o cancro, nomeadamente cancro da mama. O nosso objectivo é angariar £150 (ou mais), e já temos £30! O valor da doação não interessa, o que interessa é a intenção. Por isso, mesmo que seja apenas com £2 ou €2, dá a tua contribuição aqui.

 

 

O nosso sentido obrigado.

 

Leonor & Sara

 

Race for Life - St. Albans, 2009

 

Race for Life - St. Albans, 2008

 

20
Mar10

Perfeito!

Little Miss Sunshine

É oficial... Tenho um trabalho maravilhoso que eu amo, um marido lindo e carinhoso que me ama e respeita (agora bem pertinho de mim também!!), um ninho de amor simples mas muito nosso, e duas famílias unidas que nos amam muito e nos apoiam 'along the way'.

 

Quem diria que a miúda que deixou Portugal há quase 6 anos atrás, é agora uma mulher com responsabilidades, obrigações, mas muito mais amadurecida e extremamente feliz?

 

Estáva longe de imaginar que, ao deixar Portugal, eu ía embarcar numa aventura que já mudou a minha vida para sempre. Muita gente me pergunta porquê o Reino Unido, porque é que eu escolhi um país que está sempre com um tempo deprimente, onde às 3 da tarde já é de noite, e onde se trabalha de sol nascer a sol pôr, 24/7...?

 

Eu respondo sempre com um brilho nos olhos: porque tinha de ser. Porque estáva destinado, escrito, sei lá... Passei tantos anos da minha vida em Portugal a sonhar com Inglaterra, que quando vim de visita foi difícil não gostar do que vi. De facto gostei tanto, que no mesmo ano que visitei o Reino Unido pela primeira vez, também me mudei de  armas e bagagens para cá... e por cá fiquei.

 

Vão fazer 6 anos em Setembro que aqui estou, e tenho que ser sincera, foram tempos difíceis, de luta e batalhas, algumas perdidas outras ganhas. Não quer dizer que nesta altura eu tenha tudo o que quero, mas tenho tudo o que preciso para ser feliz.  E sim, claro que tenho saudades da minha família, dos meus amigos, do meu cão Mr Fritz, da minha tartaruga Pizza, da minha gata Malhada, e de Portugal - estaria mentir se dissesse que não tenho.

 

Mas na vida é mesmo assim, os passarinhos quando atingem idade para saírem do seu ninho são empurrados pela mãe pássara em direcção à liberdade... A minha família nunca me empurrou para fora do ninho, mas eu acho que todos nós chegamos a uma altura na nossa vida em que começamos a ver que há muito mais para fazer e ver fora do ninho, e quando isso acontece, normalmente é quando nos atrevemos a dar o salto entre o que é seguro e o que não conhecemos, em direcção à nossa vida como seres independentes e racionais.

 

Tenho a vida que eu sempre quis, e sei que ainda vêm aí mais desafios pela frente, mas para já estou bastante confortável com o meu meio, as minhas rotinas, o meu presente... E talvez por isso encare a felicidade de uma forma mais aberta, com o coração cheio e sobretudo, sem medos.

 

 

09
Mar10

Semana cheia...

Little Miss Sunshine

Esta semana começou super calminha, mas ainda hoje é Terça-Feira e já o meu diário para o resto da semana está completamente cheio. Não sei como vou fazer para conseguir encaixar tudinho direitinho. Amanhã, por exemplo, tenho tanto que fazer que só vou ter 30 minutos de almoço - se tanto - e estou a prever saír do escritório só lá pelas 21h.

 

Entre escrever uma proposta para um novo projecto, rever trabalhos académicos dos meus alunos (inclusivé uma tese de mestrado), e ainda criar uma nova estrutura de preços para a consultadoria, estou mesmo a ver que não me vou conseguir pirar da universidade cedo.

 

E hoje, apesar de ter ficado em casa (não fui ao meu curso de formação profissional, porque a minha sobrinha veio cá e eu estava a precisar de um tempinho de descanso e diversão), ainda tenho bastante leitura para fazer e tentar adiantar o máximo possível para as aulas de Quinta-Feira. Hoje vai ser até às tantas também... E eu prometi a alguns dos meus estudantes umas surpresas (para aqueles que se deram ao trabalho de usar as fontes de informação requisitadas) e também tenho de arranjar tempo para comprar as mesmas...

 

Não me estou a queixar, afinal eu faço aquilo que eu gosto, mesmo... Mas por vezes custa-me acompanhar este ritmo alucinante. Já não tenho mais 20 anos e apesar de ainda estar no 'prime' da minha vida, parece que ando mais cansada mais rápidamente, por muito que tente descansar, é difícil ir para a cama cedo.

 

Acho que este é um dos grandes problemas de trabalhar no Reino Unido. Aqui, ou se é um 'workaholic' e se faz bastante dinheiro à custa dos nossos tempos de lazer e descanso, ou então não se faz muito dinheiro e se anda numa luta constante para pagar as contas. O meu marido bem diz que a qualidade de vida aqui é muito pior, porque apesar de se conseguir fazer bastante dinheiro, na verdade demora muito tempo mesmo até se conseguir juntar uma quantidade razoável, e não se vive. Não se vive essencialmente porque para visitar os amigos e família gasta-se imenso dinheiro em transportes, e como normalmente se trabalha de manhã até à noite, quando chegamos a casa nem sequer queremos saír à noite, ou espairecer.

 

Para ter uma vida social aqui, ou se gasta muito dinheiro, ou se sacrifica a nossa hora de descanso, e muitas vezes não queremos desperdiçar nenhum dos dois e por isso ficamos confinados a uma existência de casa - trabalho - casa. Vai fazer 6 anos em Setembro que moro no Reino Unido e só visitei três ou 4 localidades neste país... Só isso prova tudo o que já disse...

06
Mar10

Fim de semana tranquilo...

Little Miss Sunshine

Vocês não vão acreditar, mas esta semana tenho visto o sol todos os dias. Acho que isso tem causado um impacto positivo em mim (apesar da desgraça da minha alimentação... mas enfim...). Ás vezes há certas coisas que precisam acontecer para nos espevitar um pouco e fazer a adrenalina correr novamente nas veias, realinhar prioridades e traçar planos e projectos mais adequados às nossas vontades.

 

Aquela situação com a minha colega ficou enterrada ali mesmo, e resolvi que não vou mais gastar tempo precioso a escrever/ falar sobre ela. Na verdade, ter passado pelo que passei só me fez ver que nem toda a gente nos quer bem, e o melhor mesmo é não lhes dar razões para falar.

 

Assim sendo, a minha postura no meu trabalho também mudou e eu estou muito mais em cima do acontecimento do que estava. No final do mês, o meu vínculo com a Consultadoria acaba, e vou poder tirar uma semana de férias em Portugal com o marido, se Deus quiser.

 

Estou a contar os dias para poder pôr os pés no meu país, ver a minha família e levar o meu marido a conhecer os lugares e as pessoas que me marcaram a infância e a adolescência... Mas até lá ainda faltam umas boas 3 semanas, e o marido ainda tem de voltar do Brasil.

 

Espero que os dias vôem até à chegada dele. Estou tão ansiosa que até fico sem sono... Mas forço-me a ir dormir, porque sei que uma noite passada sózinha agora é menos uma noite até ao dia em que vou poder dormir nos seus braços.

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D