Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

25
Jul10

Obrigada...

Little Miss Sunshine

Obrigada pelo vosso apoio incondicional. Há algo por detrás do meu post anterior que quando eu puser a descoberto lá para finais de Agosto vocês vão entender o porquê de toda a minha frustração, raiva e tristeza. Para já não posso dizer o que se passa a 100%, mas para bom entendedor, meia palávra basta. As coisas aqui em Inglaterra são boas, mas há duas coisas que me estão a fazer repensar no meu futuro aqui, principalmente agora.

 

  1. O preço das casas: um apartamento com 2 quartos pode chegar às £1,000 - e as contas não estão sequer incluídas. Mais, arrendar uma casa quando se tem um cão e um gato torna a procura quase impossível. Comprar casas aqui também não dá, porque os preços estão bem além das nossas poupanças... Resta-nos viver num estúdio para já, algo que é limitativo e apertado para a nossa realidade.
  2. Saudades de casa: a falta de apoio famíliar imediato faz com que eu tenha de lidar com tudo sózinha. Por mais que a minha família esteja lá para mim, não é a mesma coisa falar através do messenger e falar frente a frente. Mais, não posso ir  a casa dos meus pais cada vez que me sinto perdida ou desorientada, ou mesmo quando preciso de um tempo de tudo. A distância torna tudo muito mais complicado e o marido não entende muito disso porque nesta altura tem cá a família dele quase toda, e eu não tenho ninguém da minha família por aqui.

Adoro o meu emprego, e essa é provavelmente uma das razões porque eu ainda ando por aqui. O meu ordenado é confortável. Em Portugal não teria talvez uma posição profissional tão enriquecedora, que me preenchesse tanto, e que me pagasse um bom ordenado. No entanto,  e desde que casei, o que recebo vai quase tudo para as despesas da casa e sobra muito pouco para colocar nas poupanças todos os meses. Agora então, as poupanças vão ser mais importantes do que nunca... E eu não quero perder a minha independência económica ou o meu nível de vida só porque me encontro na situação em que me encontro.

 

Cada vez mais me apetece regressar a Portugal, não pelo futuro que me aguarda lá (e que provavelmente é menos risonho do que aqui), mas pelo apoio que sei que vou ter se me mudar para lá definitivamente. Quer eu queira, quer não, a falta de calor, de sol, de praia e acima de tudo, a falta da família tornam-se factores de peso muito importantes, especialmente na etapa de vida onde eu me encontro...

24
Jul10

Triste

Little Miss Sunshine

Porque raio tenho de ser só eu a deixar a minha vida para trás, que eu construí com tanto esforço, suor e lágrimas durante seis anos? Porque raio tenho de abdicar do futuro que sempre sonhei, da minha carreira? E ele, abdica do quê? A vida dele vai continuar igual, sou eu que vou ter de tirar tempo do trabalho, sou eu que vou perder a minha independência económica enquanto estiver em casa... E será que é isso que eu quero mesmo, especialmente depois de ver que o menino é agarrado às saias da mãe? É que tudo parece uma imensidão de injustiças, vindas da parte dele, uma imensidão de incompreensão.

 

Tudo o que é importante para mim,  o marido não entende. Quer que eu esteja sempre sorridente, quer que eu esteja sempre de boa vontade... A Sério!?? Não me parece. Estou sózinha aqui, ele não. O meu apoio familiar era ele. Era. Não é mais, porque desde que ele se juntou com a mãe dele no outro dia para me exigir fazer coisas que eu já não me apetecia, desculpem mas não. O marido, na verdade, faz pouco por entender o que seja. Para ele, só o que ele acha que está bem é que está bem.

 

Para mim, não é bem assim. Estou numa altura da minha vida em que precisava dele do meu lado. Mas ele obviamente prefere o lado de toda a gente menos eu. Então que fique com eles, eu consigo fazer isto sózinha, não preciso dele para nada. Para nada. Antes de o conhecer a minha vida era optima, estáva sózinha, mas tinha a minha carreira, a minha casa, as minhas coisas, e as minhas rotinas.

 

O problema aqui é muito mais profundo do que parece. E eu não admito que pessoas da família dele façam jogo sujo, digam uma coisa à minha frente para depois dizerem outra à frente dele e me fazerem parecer mal. NÃO ADMITO.

 

Por isso acho que vou fazer isto sózinha.

17
Jul10

PRECISO DE FÉRIAS!!

Little Miss Sunshine

 

 

 

 

 

E disse!...

 

 

Já estou um bocadinho melhor, ontem foi mesmo um dia mau, mas nada que uma crise de choro convulsivo não resolva. Hoje sinto-me melhor, depois de ter posto cá para fora todos os meus medos, inseguranças e angústias. Talvez seja mesmo tempo de voltar para a terra mãe... nem que seja de férias.

 

16
Jul10

Desabafo!

Little Miss Sunshine

Cheguei a um ponto de saturação. Estou aqui há 6 anos quase e não tenho nenhumas poupanças decentes, não posso comprar uma casa porque não tenho dinheiro para o depósito, alugar casas aqui é caro e impossível quando se é dono de dois animais. Para piorar não estou nada contente com o comportamento do meu marido, parece que mudou do dia para a noite e SEM RAZÃO. Eu ao menos tenho razão para estar conflituosa da maneira como estou, agora ele!! Para piorar, a minha carreira está estagnada, não vejo grande consolidação de resultados nem o mínimo de reconhecimento pelo meu trabalho.

 

Sinceramente, eu estou sem o mínimo de vontade de continuar aqui. Acho que chegou a altura de voltar para Portugal, por pior que as coisas estejam por lá pelo menos não estou isolada como aqui... Odeio estar longe do amor da minha família, andamos às turras mas pelo menos eu sei que eles estão do meu lado e me apoiam incondicionalmente... A família do meu marido não é  a minha família.  E eu já lhe disse isso, porque não me sinto bem quando estou com eles - a culpa não é deles, sou eu que não consigo evitar fazer comparações com a minha família, e são ambas demasiado diferentes... Mais, ultimamente o meu marido não tem sido grande apoio, e cada dia que passa menos vontade tenho de me apoiar nele porque ele não me entende, nem quer entender. Estou farta de ser a má da fita, quando ele também não é nenhum super-herói.

 

Eu sei que este desabafo é o produto de um dia mau, mas a verdade é que estou saturada de dias assim. Ultimamente parece que passo a maior parte do meu tempo sózinha e sem falar com ninguém. E quando abro a boca é só para me irritar por isso mais vale estar calada... Mas tenho falta de carinho... Dá-me vontade de fugir para bem longe da minha realidade aqui, fugir só com a Daisy e o Bidú, porque eles têm sido os meus companheiros das horas tristes. Pelo menos eles estão lá para mim. Nunca me senti tão perdida. Estes deveriam ser os dias mais felizes da minha vida, mas a verdade é que se arrependimento matasse, eu já estáva morta há muito tempo.

 

A minha vida está a mudar e eu não tenho controlo sobre nada. E o pior é que cada vez mais me assusto com a imagem do meu futuro...

13
Jul10

Um cão chamado 'Sarilho'

Little Miss Sunshine

O meu cão Bidú é do pior que há. Pode ser porque ainda é cachorrinho, e portanto não está ainda habituado a estas rotinas humanas de comer e dormir a horas certas. Desde que veio para nossa casa, que nos acorda às 4, 5, 6 e 7 da manhã. Se não lhe damos atenção, ladra e acorda a vizinhança toda. Normalmente sou eu que me levanto para brincar com ele, e deixar ele bem cansado para que possa dormir bastante. Adora morder os meus chinelos de casa, os brinquedos da gata, as calhas da alcatifa, as portas, os cabos de televisão e do telefone, enfim, tudo o que seja canino-comestível ele tem de experimentar.

 

Por um lado, é bom. Como eu me andava a queixar de solidão, agora tenho quem me faça companhia nas horas vagas - que por sinal agora são bastantes. Mas por outro é terrível, porque não temos tido descanso nenhum, e um cão é sempre uma despesa e uma responsabilidade acrescida. Ainda por cima neste país ter animais em casas arrendadas é muito complicado. Os senhorios não gostam de animais, e normalmente quando eu digo que tenho um cão e um gato, as portas fecham-se para mim no que diz respeito a alugar uma casa maior.

 

Eu gostava de comprar uma casa, mas não tenho nem 5% do valor de depósito necessário para dar entrada no processo. Irrita-me porque não podemos ter um espaço nosso, e andamos a gastar dinheiro em renda numa casa que nunca será nossa e que a qualquer altura podemos ter de deixar pois tudo depende da vontade do senhorio.

 

Odeio morar numa casa arrendada. É simplesmente demasiado limitativo, e eu sei que por ter comprado um cão estou a candidatar-me a ir morar na rua, porque já estou a quebrar alguns dos termos do meu contrato de arrendamento, o qual só permite um gato (a Daisy). Tudo isto é demasiado frustrante, e para piorar as casas aqui não são baratas. Se com 300 euros se arrenda uma propriedade razoável em Portugal, aqui essa mesma propriedade custaria à volta das 750 a 800 libras por mês. Imaginem o dinheiro que eu poderia poupar se não tivesse que pensar em pagar alojamento!! Mas não, é literalmente quase todo o meu ordenado (e o do meu marido) que vai para a casa e as contas.

 

Para piorar temos mesmo de comprar um carro. Na eventualidade de construímos família não podemos de maneira nenhuma andar a pé ou dependentes da carrinha do trabalho dele. Não só não é pratico, como quando tivermos filhos também não vai ser possível pô-los na carrinha para irmos onde formos, porque é ilegal. Temos de ter um carro, dê por onde der.

 

E com a diminuição do meu trabalho durante estes meses de Verão as coisas não estão muito fáceis para nós, o que me deixa com bastante medo do futuro. Temos trabalho, é certo, mas também temos muitas despesas e essas coisas pesam no nosso orçamento no final do mês. este ano nem vou a Portugal nas férias como já era habitual, e vou ter de optar por uns dias em Jersey ou Guernsey só para relaxar antes do começo do próximo semestre lectivo.

 

A vida não está muito fácil e eu peço todos os dias por um momento divino de inspiração, na esperança de que os nossos caminhos de abram, e que algum dinheiro caia no nosso bolso para que possamos viver sem pensar no futuro com medo e insegurança.

07
Jul10

Novidades e descanso

Little Miss Sunshine

Nesta altura estou a passar por um periodo de descanso total. Não estou de férias, mas o trabalho está escasso e estou a concentrar as minhas energias noutros campos da minha vida (i.e. pessoal). O meu cachorrinho novo, o Bidú, é uma fofura, mas também dá algum trabalho (principalmente quando acorda às 4h e 5h da manhã para roer os meus dedos ou  desata a chorar porque quer saltar para cima da cama, mas como é 'pequinino', não chega).

 

O Bidú esteve ligeiramente constipado estes dias o que nos levou ao veterinário umas vezes. E volta e meia temos de correr para o supermercado para comprar as folhas absorventes de treino de cães, porque ele gasta aquilo como maçãs verdes (o que é optimo, porque antes nas folhas que na alcatifa). A Daisy também andou doentinha, muito devido à ansiedade de ter um animal estranho a querer morder-lhe as patas e a ladrar convulsivamente a cada passo que ela dava pela casa.

 

As coisas agora acalmaram um pouco na frente animal, mas com a minha falta de férias (fora daqui, claro), e uma provavel ausência de Portugal este Verão, eu ando irritadíssima! E não é com as pessoas que me rodeiam, é comigo mesma. Isso pode ser explicado também pela falta de trabalho, eu odeio estar parada por muito tempo, principalmente quando isso depois se reflete negativamente na minha conta bancária.

 

Entretanto a minha sogra vem amanhã do Brasil. Vai ficar aqui 3 meses para tomar conta da minha sobrinha, que está agora de férias grandes. Pode ser que isso me tire de casa um bocadinho mais - se bem que não sei não. Ando muito caseira por estes dias e não tenho vontade de saír para lado nenhum. Se ainda fosse para um sítio animado e movimentado... Agora o sítio onde eu moro é uma vilazita e em 6 anos eu já vi tudo aqui que havia para ver.

 

*suspiro*

 

Quero mesmo ir passar uns dias fora das terras (continentais) Britânicas - talvez vá passar uns dias a Jersey ou Guernsey.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D