Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

24
Jun11

Consulado do Brasil Vs. Consulado Português em Londres

Little Miss Sunshine

Dou graças a Deus pela minha filha ter dupla nacionalidade. Caso ela fosse somente portuguesa, as minhas férias em Portugal estariam seriamente ameaçadas. Isto porque mais uma vez, o consulado português se atrapalhou de tal maneira (incompetencia? Falta de pessoal? Falta de verbas?) que já passaram três meses desde que a minha filha nasceu e nada de documentos para a minha filha poder viajar. Ando desde Abril a insistir com eles para registar a minha filha e o meu casamento...

 

Ao principio negaram-se a registar o meu casamento, que se realizou há mais de ano e meio no Brasil. Queriam que eu fosse ao Brasil registá-lo (ha, ha - PIADA!Eu moro em Londres, não moro no Brasil!). Depois de muita insistência, só há uma semana me mandaram um email a confirmar uma hora para que eu possa finalmente dar entrada no processo de transcrever o meu casamento no meu assento de nascimento - mas não sem antes me informarem que tal acto custará mais de 80 libras.

 

Eu já paguei uma vez para me casar e acho injusto ter que pagar um balúrdio só para anotarem no meu registo que eu sou casada e que adoptei o nome do meu marido. Nem sequer mencionaram quando poderia tratar do registo da minha filha ou quando poderia tirar o cartão do cidadão para ela. Provavelmente teria de fazer isso com novos agendamentos, e mais umas não sei quantas idas ao consulado até ter tudo resolvido.

 

Preocupa-me que os serviços do consulado português sejam tão precários. Há cada vez mais portugueses a morarem em Inglaterra, e já estáva na altura de investirem em algo como o governo Brasileiro fez.

 

Os nossos vôos estão marcados para daqui a 3 semanas. Por isso tive de ir tratar da nacionalidade Brasileira para ela - só assim consegui obter um passaporte que me permitisse que ela viajasse connosco. Chegámos ao consulado Brasileiro em Londres sem agendamento, eram quase 9h00. Tiramos a senha para tratarmos do registo notarial dela. Demoramos duas horas para a registarmos, e obtermos duas vias do registo de nascimento.

 

Às 10h30 tiramos a senha para tratarmos do passaporte. Eles deixam de distribuir senhas às 11h. Eram 11h30, estávamos a entregar os documentos do passaporte para ela. Eram 12h30 e estávamos a saír do consulado já com o passaporte dela na nossa mão. Graças ao serviço exemplar do consulado Brasileiro, as minhas férias não foram estragadas por burocracias estúpidas e incompetentes.

 

Quando chegar a Portugal, logo trato de tudo. Aqui, nunca mais. E estou sériamente a pensar em tratar da minha naturalização Britânica, para não ter que depender mais do consulado Português enquanto aqui morar...

12
Jun11

Barbecue

Little Miss Sunshine

Ontem tive a sorte de estar reunida com pessoas maravilhosas que conheci recentemente, num barbecue para celebrar o 36º aniversário do meu marido. Fotos em breve.

 

 

... e sim, estáva sol!...

 

 

 

(MILAGRE)

 

 

{#emotions_dlg.blink}

10
Jun11

Triste

Little Miss Sunshine

Uma das razões porque eu deixei de escrever aqui tem a ver com o meu marido. Um dos desabafos que eu por aqui escrevi quase acabou com o meu casamento e eu senti que deveria deixar de escrever por aqui durante um tempo. Entretanto, os dias foram-se tornando meses e parece que me distanciei deste blog mais do que gostaria. Na verdade, o facto de ter este blog ajudou-me muitas vezes em tempos de incerteza e tristeza, e ajudou-me a conhecer-me melhor como pessoa, através da re-leitura dos meus posts. Por isso foi muito difícil ter de escolher entre este meu mundo, da qual eu sou personagem há quase 7 anos, e a minha pequena família que só começou há dois.

 

Mas eu tive de escolher, numa altura de grande fragilidade, eu grávida, ou era isto ou o meu marido. Escolhi o meu marido para bem da minha filha, mais do que para o meu próprio bem. Não me levem a mal, eu amo o meu marido, mas há certas coisas que eu tive de mudar na minha personalidade para poder levar a vida que hoje levo, opções que eu tive de tomar e que nem sempre senti que eram as opções certas para mim, mas sim as opções certas para que a minha pequena família não se desmoronasse diante dos meus olhos.

 

O meu marido faz hoje 36 anos. Esta deveria ser uma data especial, de alegria, um dia de comemoração. Mas cá estou eu, em casa, sózinha com a minha filha. Depois de lhe ter dado a prenda de anos esta madrugada, e de lhe ter desejado os parabéns, não recebi um beijo, não recebi um obrigado... Isto fez-me pensar... Ando eu a sacrificar partes da minha vida que me são importantes, que são parte de mim (como este blog) por uma pessoa que não valoriza certas acções de afecto de minha parte...?

 

Ontem levantou-me a voz, com uma atitude de quem não quer saber, e eu acabei por ir para a cama mais cedo, a chorar, para dar de mamar à filha, e com uma sopa apenas no bucho... Tudo porque ele fez algo errado (deixou sair o gato de casa, e nós temos duas portas da entrada, mas ele tinha de deixar as duas portas abertas, sabendo que o gato estava a recuperar de uma cirurgia e da outra vez que esteve na rua desapareceu por 2 semanas e meia!!) e não admitiu. Destrata verbalmente os animais, como se a culpa fosse minha. Eu sou responsável, eu não falho com comida, vacinas, veterinário!! Eu amo os meus animais e ele detesta-os por isso mesmo, porque eu os amo tanto. E os nossos animais foram sempre ponto de desacordo entre nós, levando-me muitas vezes a pensar que se eu soubesse a posição dele face a ter um cão e um gato talvez nunca me tivesse casado com ele, porque para mim, uma casa sem animais é uma casa triste e infeliz.

 

Para piorar, ainda atirou umas bocas, com desdém, que ele estáva cansado do trabalho - eu acredito que esteja... Mas quando eu lhe disse que a minha vida em casa também não era fácil, fez um ar de cinismo e com sarcasmo, lançou um esgar, como se o trabalho dele fosse realmente pior do que ficar em casa... Pois a minha vontade foi deixar-lhe a filha e voltar eu ao trabalho, para ele ver o que é bom.  Mas ele ainda não tem mamas que produzam leite, o mal é esse... Será que ele sabe que,  desde que ela nasceu em Março que eu não durmo uma noite seguida!? ELE NÃO ACORDA DE NOITE para nada... Desde MARÇO que eu não tenho uma FOLGA, um dia de descanso para jogar PLAYSTATION, ou fazer aquilo que ME APETECE, como ir a um barbecue de amigos. Ele fez isso tudo...

 

Todos os dias, ainda tenho que fazer almoço e jantar, senão o meu leite não é bom e a filha fica rabujenta, e pode até perder peso. Ele acha que está a fazer muito por mim deixando o meu pequeno almoço na mesa de cabeceira todos os dias? Não é por mim que o faz, é pela filha - porque se eu como bem, a filha bebe um leite mais nutritivo logo pela manhã. Esta semana nem tenho almoçado de jeito e eu bem vejo como a filha anda rabujenta e dorme mal. Tento ao máximo fazer o que posso em casa, entre as sestas da menina, e é raro ter um tempo de descanso para mim. Passo o dia sózinha, muitas vezes sem falar com ninguém. Quando saio com as minhas amigas, umas duas vezes por semana, ele acha que eu estou na boa vida, mas na verdade só muda o meu cenário. Tenho de mudar fraldas na mesma, dar de mamar na mesma, acalmar o choro da filha na mesma... O cansaço é até maior porque estou fora do meu ambiente.

 

Por isso, como ousa ele dizer que está cansado do trabalho, quando dormiu uma noite inteira, e ainda pode dormir uma sesta quando chega a a casa? Estou tão furiosa com ele que só quero ir para Portugal, dar um tempo e esquecer a minha vida aqui, porque sinceramente eu estou sem paciência para a vida de casal nesta altura. Na verdade desde que a filha nasceu que nós somos um casal na teoria, porque eu não consigo sequer pensar em olhar para ele de outra maneira enquanto eu não conseguir descansar aquilo que eu preciso. Eu ando exausta. E irrita-me quando me dizem para eu não levantar ondas, porque eu só me chateio se me falarem mal, como ele fez. Não foi ter deixado o gato sair que me deixou incomodada, foi as coisas que ele me disse e a maneira como ele me as disse que me deixou triste.

 

Por isso, hoje, estou sem vontade de celebrar este dia especial para ele. Que contraste. O ano passado foi um dia super-especial. Este ano, é um dia para esquecer.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D