Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

E o céu azul brilhará...

Diário de uma académica portuguesa em Londres

05
Abr19

O Tempo Certo

Little Miss Sunshine


floating_in_time.jpg

Todas as noites gosto de publicar frases de inspiração no meu mural do Facebook, algumas citações, conselhos, chamadas de atenção. É muito raro não publicar, tornou-se um hábito meu, algo que gosto de fazer como que a assinalar que estou viva e estou bem, especialmente depois de um dia em que a minha passagem pelas redes sociais pouco ou nada foi. Muitas das frases que eu publico são um reflexo dos meus dias, das pessoas com quem me cruzo, das experiências que vou tendo pelos cantos da vida.... Há tantas frases na internet, algumas que não me dizem absolutamente nada… outras com tanta carga emocional, que é difícil ficar-lhes indiferente.

 

Muitas das frases com que me cruzo ultimamente nas minhas pesquisas noturnas virtuais são frases sobre paciência, frases que nos dizem que esperar pelo momento certo é importante, acreditar que o universo vai conspirar a nosso favor se nos soubermos acalmar no espírito, na mente, e no coração. Quem me conhece sabe bem que paciência não é o meu forte. Eu tento realmente não deixar as minhas emoções tomarem conta da minha razão, mas não é de todo fácil tentar contrariar uma natureza meio agreste que já se vem aperfeiçoando há 40 anos.

 

Ser paciente é, aparentemente, o segredo das pessoas que vivem mais felizes, porque enquanto esperam vão-se refinando, melhorando. As pessoas com ambição e vontade de vencer na vida também são pacientes, esperam pelo momento certo, as oportunidades certas para poderem seguir em frente na sua carreira sem muitos sobressaltos. As pessoas que estão em relacionamentos felizes, são também pessoas que foram pacientes com o tempo, porque o tempo as ajudou a nutrir o amor a dois, e com isso veio também a tolerância, e a paz.

 

Parece que toda a gente à minha volta é versado em paciência. Toda a gente menos eu. E talvez por isso é que eu me sinta tão insatisfeita no meu canto, porque para mim tudo está a demorar um tempo anormal, um tempo absurdo. Eu quero subir de cargo, quero mais dinheiro, quero um parceiro, quero uma casa, quero um negócio… para ontem. E com essa sofreguidão eu vou-me extinguindo a pouco e pouco porque a energia vai diminuindo, começamos a achar que não somos suficientes, que não estamos onde tínhamos de estar – de acordo com a sociedade, e que se lixe a sociedade -  que tudo está estagnado, quando na realidade está a andar.

 

O tempo tem-me ensinado que cada vez mais eu consigo controlar menos a minha vida. Que na minha vida tudo tem o momento certo. Que eu posso até achar que no passado eu estava em pleno controle do meu destino, quando na verdade eu estava era mesmo a remar a favor de uma maré que tinha de ser rápida. Hoje eu entendo cada vez mais o que significa esperar. Não gosto, mas aceito que esperar tem as suas vantagens. Espero pelos documentos da cidadania Inglesa da minha filha, espero pelo cargo fantástico de gestão (que há-de acontecer quando tem de acontecer), espero pelo meu sonho de abrir o meu próprio negócio, espero (sentada) por um amor que me complemente… e enquanto nada disso acontece, eu vou-me aperfeiçoando, vou-me atualizando, vou trabalhando em mim e aproveitando as folgas que a vida me dá para respirar, para descansar, beber um bom vinho e dormir sem qualquer peso na minha consciência, ou nó na garganta.

 

Ser mais paciente trouxe-me paz. Vou fazendo o que posso, não espero mais nada de ninguém, não sou apanhada de surpresa… e por entre um degrau e o outro, eu vou traçando o meu caminho, um bocado em passo acelerado e um bocado aos pulinhos - tal qual Dorothy numa estrada de tijolo amarela…

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D